segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Livro: Man Repeller

Li tantas opiniões falando bem do blog Man Repeller e do livro correspondente que resolvi lê-lo. O fato de ter a ver com moda ajudou também, é claro.


Apesar do livro emprestar o mesmo nome do blog que fala sobre moda ele é, na realidade, a autobiografia da autora. Contando desde sua infância até vinte e poucos anos, ela pontua o quanto sua vida sempre foi influenciada por roupas, sapatos e bolsas.

Ao desenvolver um gosto peculiar de se vestir -- pense em calças saruel ou em shorts de cintura alta, esta é a ideia -- uma amiga apelidou seu estilo de "man repeller" (repelente de homem).
Usando a expressão como tema ela criou o blog que logo ficou incrivelmente famoso.

Leandra escreve com fluidez e de forma fácil de ler. Mas não espere uma biografia nos moldes habituais. A cronologia é meio atrapalhada e o foco é em se depreciar sempre. Não há situações comuns, somente registro das embaraçosas ou nitidamente grotescas.
Isso traz um lado cômico ao livro, não se pode negar, porém é um tanto caricato demais e às vezes beira o desagradável. Penso que ela poderia ter conseguido o mesmo resultado usando de mais elegância e menos rudeza em seus temas e textos. Enfim...


Trechos que gostei:
"Uma vez tentei diminuir o conteúdo do meu armário. Algumas teorias dizem que o estilo inato de uma mulher francesa é tão superior ao de sua contraparte americana porque ela vive de acordo com um 'código do guarda-roupa' que lhe permite apenas cinco itens por estação: uma calça boa, uma blusa boa, um vestido bom, uma jaqueta boa e bons sapatos. Mas onde ela consegue encontrar tanta bondade?"      :D - p.152

"Na caminhada de 43 quarteirões até minha casa (o dia estava bonito e meu calçado era confortável), pensei nos sapatos. Não apenas nos que estavam na sacola nem nos que tinha nos pés, mas em todos eles. O que os sapatos possuíam que me faziam sentir tão forte e maravilhosa? Embora eu fosse uma antiga adepta da premissa de que o dinheiro não compra a felicidade, os sapatos deixavam claro que certamente era possível alugá-la."      :D - p.177


No final das contas o que se vê é uma moça com personalidade forte, que luta por seu gosto pessoal e não se importa com o que a moda ou a sociedade nos passa como "correto". Tem seu valor ao se manter fiel às suas convicções, mesmo que suas escolham pouco agradem ao resto do mundo.

Conclusão: o livro é uma diversão leve para algumas horas, sem maiores compromissos. Só leia se não tiver nada mais interessante na estante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário estará visível após moderação. Obrigada!