domingo, 21 de dezembro de 2014

Livro: A Garota das Nove Perucas

Este livro conta a história real e autobiográfica de uma holandesa de 21 anos que recebe o avassalador diagnóstico de um câncer raro e agressivo.
Para suportar as 54 semanas de tratamento ela se reinventa conforme a peruca que escolhe para o dia: cada peruca lhe inspira uma personalidade diferente.


Trecho:
"Fui com minha irmã numa loja de perucas para teatro. De frente para o espelho, experimentei vários modelos, até que... não é que uma peruca loira com cachos compridos me agradou e muito? Assim nasceu a Daisy. Soube, na hora, que ela tinha vindo pra ficar. Me olhei de todos os ângulos. Me senti uma garota desaforada e atrevida. Fiquei animada. De repente bati o olho num modelo com tufos ruivos, meio arrepiados, que mais tarde batizei de Sue. Como sou geminiana e tenho bastante dificuldade de fazer escolhas, saí da loja com as duas perucas... e duas novas personagens. Com o tempo, passei a achar mais graça na loja de perucas do que na H&M. Vi nascer então a Stella, mais careta e tímida, com cabelo castanho-claro bem curtinho, e a Blondie, de madeixas chanel loiras. Então, fui percebendo que todas elas juntas formavam uma nova Sophie. Multifacetada, forte, corajosa. Tipo como se cada peruca fosse um novo sopro de vida, de esperança, de amor próprio. Stella, Sue, Daisy, Blondie, Platina, Uma, Pam, Lydia e Bebé me salvaram."
Foto: "Pam - Daisy - Blondie"

Comecei a leitura animadíssima para acompanhar essa história de transformação, queria saber as nuances que distinguiam cada peruca-personalidade. No entanto, o livro conta só superficialmente, por meio de adjetivos, como cada peruca transformava sua portadora. 

O que se percebe ao longo das páginas é que Sophie é uma lutadora incansável. Mesmo em face da quimioterapia, da queda de cabelos, das marcas no corpo, ela continuava a sair para dançar, ir a cafés com amigos, ir sozinha ao Hospital. Muito corajosa e muito batalhadora.

Gostei do livro e recomendo. Nem todos têm a sorte de conseguir vencer essa doença tão invasiva. Porém, uma história de sucesso é sempre bem vinda e inspiradora.
Pena que suas nove personalidades foram citadas, apresentadas, mas pouco exploradas na versão escrita...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário estará visível após moderação. Obrigada!