quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Blogueiras como garotas-propaganda

Diferente de uma modelo, que você sabe que está usando a roupa X porque está fazendo um serviço para aquela marca -- portanto, escolha nada pessoal --, uma blogueira que anuncia produtos está colocando seu aval em jogo, efetivamente dizendo a todas suas seguidoras que ela pessoalmente acredita e indica tal marca/produto.

Essa relação meio incestuosa das blogueiras de moda com propaganda tem me incomodado. Como isso está sendo regido? Qual o critério que elas estão seguindo para emprestar seus nomes e suas fãs para determinada marca?

É certo que diariamente os blogs levam para as leitoras ideias de roupas, de bijoux, de como usar, indicações de compra, etc. Porém, enquanto dentro do blog, tudo isso reflete a opinião de quem escreve, baseada em sua experiência com essas peças. [Obviamente estamos falando de blogs sérios, que quando fazem propagandas as indicam como publieditorial -- e, nesse caso, as leitoras já sabem que é um serviço pago e que deve ser lido com ressalvas].

E nos casos abaixo?


Outra:


E outra ainda:


Lalá Rudge não usaria um scarpin Schutz, ela usa Louboutin, como todos sabem (inclusive na foto ela está com ele).

Mariah Bernardes faz uma linha mais discreta, o que é essa calça azul brilhante? Será que ela realmente usaria isso em sua vida?

E o que dizer de Lalá Noleto, que assume a propaganda de uma empresa em que todos os produtos são de poliéster? É para acreditar que ela efetivamente usa essas peças?

E só para terminar, um meme-exemplo no qual foi feito piada com o fato do produto anunciado não ter nada a ver com a blogueira que o anuncia:

Thássia Naves no evento Stella McCartney para C&A

E então? É para acreditar que elas usam o que anunciam? Vamos ficar espertas!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário estará visível após moderação. Obrigada!