terça-feira, 3 de junho de 2014

Diferentes formas de pensar os 50 anos

Engraçada essa questão dos "50 anos". Quando eu falo ou penso que tenho 50 anos me bate um peso, uma sensação de velhice, até mesmo uma angústia existencial.


Porém, quando estou interagindo com outros sem focar na idade, ter 50 não pesa nada, mudou muito pouco de quando tinha 30 ou 40 anos.

Exemplo 
Ontem jantei com meu filho e três de seus colegas universitários. Conviver com jovens é muito bom, principalmente se você tem o jogo de cintura para se enturmar, para entender o que eles estão dizendo e não entrar numas de "conselho". Talvez pelo meu filho e amigos serem todos de Engenharia Química e eu de Farmácia, as piadas internas são sempre compreendidas, eu efetivamente me divirto quando estou com eles. Naquele momento eu era tão jovem quanto eles, rindo das imprudências e das histórias das aulas.

Preciso lembrar mais disso e menos dos preconceitos quanto à idade. Eles engessam a gente e, sinceramente, definitivamente ainda não está na hora de ficar engessada.  :D