segunda-feira, 19 de maio de 2014

PS13 "inspired" na Gregory

Antes de iniciar este texto e colocar a mão no vespeiro que é a discussão sobre "inspireds", li várias blogueiras falando sobre isso e acho que o resultado final é: não tem mais jeito. A indústria nacional já se apossou da ideia de que pode copiar de tudo e de que é isso que a cliente quer.


O dono da Schutz disse em entrevista (link) que pretende ser como a Zara, uma fast-fashion capaz de levar artigos do esboço às lojas em semanas.
“Não é cópia, é uma adaptação, uma tradução para o mercado brasileiro”, afirma. “Não fazemos transposições literais; pegamos a informação e colocamos do nosso jeito nas peças, agregando outros valores.”
Olha, vamos 'acreditar' para não perder a amizade, ok? ;)


E como bem disse a Cony do blog Futilish (aqui),  
"É bom se acostumar, afinal se pararmos de comprar sapatos que são “tipo aquele” modelo grifado, vamos andar descalças."

Então, é sob esse clima que coloco aqui a foto de uma bolsa do catálogo Gregory de alto inverno 2014 que é... uma "inspired" da Proenza Schouler PS13:


 E aqui a original, que comprei na França ano passado:

Me espanta que até uma bolsa que se caracteriza pelo low profile esteja agora sendo copiada. 
Me dá um desânimo do mundo e dos seus estilistas... Será que ninguém mais tem uma ideia diferente que preste???

No mesmo catálogo tem outra bolsa, "inspired" na Bulgari. Olha, tá difícil...