sábado, 8 de fevereiro de 2014

Idade, liberdade, futuro by Ana Carolina Soares

O post que colei abaixo é da Ana Carolina Soares, já falei dela aqui e aqui sobre o workshop lindo que ela fez em SP e que participei.
O texto abaixo está TÃO PERFEITO que eu gostaria que eu mesma o tivesse escrito. Optei por não colocar só o link para esse post, e sim o texto inteiro, porque quero que ele "faça parte" do meu blog, que eu continuamente me inspire nele e internalize seu conhecimento.

Ana, com sua permissão e minha gratidão, segue seu post fantástico:
Daqui algumas semanas, no dia 21 precisamente, farei 35 anos. A idade poderia assustar, mas não fico grilada, não. Como bem escrevi no meu aniversário do ano passado, aceito com muita serenidade esse passar do tempo, me sinto cada vez melhor, mais dona de mim, menos impressionável e até mais corajosa. Continuo na busca para ser mais tolerante e exercitar mais a compaixão.
Sinto que meu estilo se aperfeiçoa mais, percebo com mais clareza o que fica bem ou não em mim – coisas que antes eu não detectaria de jeito algum! Consigo passar tranquilamente por lojas e saber o que eu realmente quero. Abandonei alguns velhos hábitos (como o de comprar por comprar) e estou abrindo a mente para o novo, com um inédito desafio de me afirmar numa outra profissão.
Eu não fico planejando muito o futuro, mas penso no que posso fazer no meu hoje para que reverbere mais pra frente.
Por isso, quando penso nesse tempo que anda tão rápido, eu só sinto o quanto ele me faz bem. Mesmo. Não troco meus 10kg a mais pelo meu corpo de 10 anos atrás. Me considero mais bonita agora, com mais carne e gordurinhas! Também aprendi que não preciso ir ao salão toda vez que meu grisalho aparece. Esse é mais difícil de aceitar, porque eu odeio pintar meu cabelo, e quando eu não cubro as raízes brancas, fico com receio de parecer desleixada. Sim, bobeira, mas estou tentando me livrar dessa lavagem cerebral que fazem em nós, mulheres.
felicidade-1
(via Ana)
Parei de paranóia com a barriga e voltei a ir a praia. Essa noiazinha de não ter mais a barriga “lisa” impediu muitos momentos felizes com meus amigos. Também aceitei mais minhas celulites nas pernas e voltei a usar short sem qualquer receio. E rendeu até uma discussão no blog, quando uma leitora disse que eu não tinha mais idade para usá-los.
Aí, essa semana, olhando o instagram, me deparo com o da American Apparel USAapresentando a sua nova garota propaganda – Jacky O’Shaughnessy, de 62 anos, nas poses clássicas das ousadas campanhas da marca, vestindo lingerie, seguida da frase “sexy has no expiration date.” (sensualidade não tem prazo de validade). Jacky nunca fez cirurgia plástica e as fotos não tem intervenção do Photoshop.
AmericanApparel02
american-apparel-hojevouassimoff-3
aa-5-630x407
american-apparel-hojevouassimoff
Eu achei o máximo. Primeiro, porque minha mãe tem quase 60 e eu sinceramente não a vejo com essa idade. Ela é jovem e jovial, adora sair, fica me xingando se vê alguma roupa no blog que eu não comprei igual pra ela (hahahaha), usa tênis e acessórios super moderninhos. Minha vó comprava em lojas de mulheres da minha idade e se vestia de acordo para uma mulher de 70, só que sem ser careta – essa senhorinha andava por aí de tênis New Order e vestido Cantão, vejam vocês.
Por isso discordo de algumas críticas que li no instagram da AA, alegando que qualquer mulher da idade de Jacky não compraria na loja da marca, que seria apenas mais uma jogada de marketing. Sinto muito, mas eu imagino sim as mulheres da minha família comprando lá…as mulheres contemporâneas não sentem mais o peso da idade que consta no RG. Sim, ela é magra e branca, mas acredito que podemos ir além do estereótipo e avançar com essas questões.
Por exemplo, preciso dizer que me assombro quando vejo tanta menina novinha se enchendo de maquiagem – eu comecei a usar aos 29 anos. Não que eu seja “A” certa, mas a gente precisa mesmo ser escrava disso todos os dias cada vez mais cedo? Fico espantada em perceber que ainda existem lugares com mentalidade tacanha, que lançam olhares repressores quando a mulherada resolve vestir um short. Fico chocada quando alguém diz que existe idade para algo.
Campanhas como essa da American Apparel não reforçam apenas que a gente pode continuar sexy, irreverente e linda aos 60 anos. Eu acredito que é uma mensagem pra gente se libertar agora. Pra nos convencermos de que somos lindas mesmo com manequim que não é o padrão, mesmo quando as rugas aparecem, mesmo quando uma sociedade diz exatamente o contrário: não importa, mesmo. Temos saúde, a opção de mudar quando quisermos, e tantos outros interesses e pensamentos mais importantes do que perceber se a pessoa que está na sua frente é velha ou gorda demais para se permitir, querendo cercear a liberdade alheia.
advance-style-women-of-ari-seth-cohen-gal5
foto do blog Advanced Style.
A campanha da AA me lembrou o desfile da coleção de inverno 2009 do estilista mineiro Ronaldo Fraga – Tudo é risca de giz, quando desafiou toda uma convenção e colocou mulheres e homens maduros para desfilar suas criações, arrancando lágrimas e aplausos na SPFW. Lembro do Ronaldo comentando o risco que seria enfrentar a crítica – quantos momentos únicos essa ousadia não rendeu?
ronaldo-fraga-inverno-blog
Então, a minha proposta é não pensar apenas pra frente – se permita hoje. Perceba o que te faz feliz agora, nesse instante. Não se compare, não admita que digam o que você deve comer, que padrão você precisa se encaixar. Alma leve e mente serena para viver o nosso momento, sem pensar em arrependimentos no seu futuro. :)