sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Simplificar

Consumo é uma coisa que me intriga. Ao mesmo tempo em que finalmente posso ter tudo que quiser, as ideias de minimalismo, vida simples, desapego e destralhamento estão sendo constantes no meu pensamento.


A última limpeza de armário me mostrou que só fiquei com peças que eu realmente gosto. Na prática significa que é só abrir o guardar-roupa e apanhar qualquer parte de cima com qualquer parte de baixo, sapato e bolsa, e sairei com itens que eu amo.

Isso implica, também, que não preciso de novas compras!
O racional está 100% entendendo isso, mas o emocional continua buscando coisas que não preciso. A última da semana foi uma bolsa Miu Miu azul. É linda, mas eu não precisava.

Ainda tenho mais coisas do que seria ideal.
Depois de organizar o guarda-roupa estou pensando nas prateleiras de livros: o que não tem apego sentimental muito profundo (como a coleção Sherlock Holmes) e os que não me vejo relendo, deverão ser doados a uma instituição de caridade ou biblioteca.
E por aí em diante.

O difícil é não cair na tentação de comprar coisas novas somente pela novidade, pela beleza da peça, simplesmente por terem feito meus olhos brilharem.

É certo que de livre e espontânea vontade nunca serei uma minimalista espartana. Não sou capaz de trocar um produto caro bom por um barato de menor qualidade. E alguns blogs que tratam de não-consumo focam muito nisso.
O pior exemplo li esta semana: a pessoa trocou a compra de um escova de dentes de R$8 por uma de R$3 que, segundo ela, "faz o mesmo serviço". Não, não é verdade. Uma escova de dentes boa e que não agride o esmalte e as gengivas tem que ser macia, de muitas cerdas. A escova barata é dura e inadequada.

#Dica: a melhor escova que existe é a Curaprox, com 5460 microcerdas ultra macias
Custa cerca de R$16 e vale cada centavo…


Ou seja, acho que nunca serei um exemplo de simplicidade, porém pretendo me sair bem melhor do que nos últimos anos no quesito compras fúteis.

Abaixo links de vários blogs interessantes sobre o tema:
Minimalizo
Buscando uma visa não-consumista
Uma vida mais simples
Vida minimalista


Observação
Várias coisas novas estão me interessando nos últimos tempos. Excelente! Significa que ter 50 anos não é estagnar, há espaço para crescer, sempre. Bom, né?