segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Compramos sempre do mesmo?

Semana passada houve uma série de artigos de blogueiras comentando sobre consumo.
De tudo que foi escrito, o que mais me marcou foi a colocação do (f)utilidades de que as brasileiras compram, no mercado de luxo, exatamente os mesmos itens e modelos que outras brasileiras compraram, enquanto chinesas, indianas e russas entram nas lojas buscando as novidades, as edições limitadas, as coleções especiais.

Essa informação me incomodou, principalmente porque tudo indica que é acurada.

Por que isso aconteceria? 

Minha hipótese é que isso ocorre porque somente agora estamos tendo contato com as lojas de luxo. Há pouco tempo não havia nada além de lojas comuns em nossos shoppings, não se imaginava um local que tivesse Chanel, Burberry, Ferragamo, Dior, Gucci, etc., como temos hoje.


Acho que essa falta de intimidade com as marcas de luxo nos faz optar sempre pelos itens mais icônicos, mais característicos de cada marca, pois são esses itens que sempre apareceram mais na mídia e passaram a fazer parte do imaginário de luxo da brasileira.

Penso que quando estivermos há mais tempo em contato com essas grifes, também vamos nos interessar pelos itens diferentes, especiais -- até porque os itens que todas adquiriram vão passar a não ter mais tanto apelo fashion.

Acho que é só uma questão de tempo...