domingo, 28 de outubro de 2012

A moda dos lookbooks e as Entas

Está me acometendo um fenômeno estranho: ando intimidada de entrar nas lojas para comprar roupas.

Minha forma física não ajuda: 1,60m e algo além de 60 kg. Conclusão: todas as calças precisam de barras e todos os blazers precisam de ajuste na manga. Mas isso não seria nada, visto que a minha vida toda tive essa altura, já estou acostumada com esses percalços.

Detectei que o problema é maior que isso: as roupas andam sendo feitas para e expostas por modelos muito novas e muito magras. Eu olho a peça na revista, tenho vontade de comprar e em seguida tenho vergonha de pretender usar algo que foi pensado para alguém alto, magro e jovem, tudo que eu não sou.

Exemplo: a Animale. Adoro quase tudo que eles fazem, são peças diferentes, inspiradas. Mas já viram o lookbook?


Eu gostei de todos os itens que colei acima. E a coragem para tentar entrar numa roupa que foi pensada para alguém 20 cm mais alta e 20 kg mais magra que você?

Fico pensando que o estilista não quer que alguém como eu use suas peças, que não quer que suas criações sejam vistas em ninguém menos do que jovens de corpo perfeito.

Mas sabem de uma coisa, minhas amigas Entas? As mocinhas de corpo perfeito têm 18 anos e, na sua imensa maioria, não têm condições de bancar uma roupa da Animale.

Pensando mais sobre isso
Acho que um gráfico da condição física e do poder econômico versus idade deve ser mais ou menos assim:


Onde a linha azul representa a condição física (quão em forma estamos com a idade: o máximo quando jovens e declinando com o passar do tempo) e a linha vermelha representa o poder de compra ao longo da vida (mínimo quando se é jovem, ainda estudante ou no início da profissão, e aumentando à medida em que vamos crescendo na carreira e no volume de negócios).

Ok, é um gráfico totalmente empírico, acabei de inventá-lo e talvez vocês prefiram colocar a linha azul também como uma hipérbole, ao invés de uma reta. Mas deu para entender a ideia, não deu?

Conclusão óbvia: as lojas deveriam olhar para isso e mudar a forma de expor suas peças. Não seria mesmo ótimo? Mas enquanto isso não acontece nós temos que nos desvencilhar das imagens projetadas como ideais pelas marcas e investir no que nós mesmas queremos.

Portanto, após este post-desabafo informo que esta semana mesmo farei uma visita às minhas lojas-desejo e não terei mais vergonha de pedir as peças que estão lindamente colocadas em manequins esquálidos: afinal, quem mais além das poderosas entas podem comprar essas peças? :D