domingo, 15 de janeiro de 2012

Livro: O Ano da Leitura Mágica

Acabei de ler "O Ano da Leitura Mágica", de Nina Sankovitch.
Como eu havia dito, é intrigante como essa mulher, mãe de quatro filhos, conseguiu separar tempo para ler um livro por dia, durante um ano inteiro. E não só ler: resenhar diariamente o livro lido, em seu website.

Ela explica, logo às primeiras 30 páginas: "Minha leitura de livros seria disciplinada. Sei que haveria prazer nas minhas leituras, mas precisava também me ater a um cronograma. Sem um compromisso, o resto da vida poderia se infiltrar e roubar meu tempo e eu não poderia ter o tanto que queria ou precisava. Eu não poderia fugir se não tornasse os livros minha prioridade. Tem sempre poeira para limpar e roupas para dobrar; tem sempre leite para comprar, jantar para cozinhar e louça para lavar. Mas nada disso poderia me manter afastada por um ano. Eu estava me permitindo um ano sem correrias, sem planejamentos, sem sustentar os outros. Um ano de nãos: não me preocupar, não controlar, não ganhar dinheiro."

Interessante como isso veio ao encontro do texto que recebi por email, e que estou adorando ler, do Eng. Adib Fadel, no qual ele compila as frases feitas que sempre usou em sua carreira administrativa, explicando cada uma delas.
Uma das primeiras é "O tempo é uma questão de preferência". Seguem fragmentos de seu texto:
"O tempo, assim como a saúde, é um dos recursos mais finitos e preciosos que precisamos administrar. Pena que nem todos consigamos fazer isso muito bem. Gastamos o nosso tempo sem muito critério, como se ele fosse infinito, e, no final, nos lamentamos da falta que ele nos faz. Deixamos de fazer coisas importantes por falta dele. [...] Portanto, o melhor argumento não é “não deu tempo”, mas sim “não foi minha prioridade ainda”, porque “tempo é uma questão de preferência ou, se preferirmos, uma questão de priorização”."


A palavra comum aos textos é PRIORIDADE. E é isso que faz toda a diferença!

Quando não há prioridade, as necessidades do dia a dia nos levam e tomam todo o tempo. Para realmente produzir alguma coisa consistente, é preciso primeiro se comprometer com aquilo. E isso pode não ser fácil - mas é o mais importante para se mudar a rota e o destino da vida.