quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Shopping Iguatemi

Uma visita ao Shopping Iguatemi sempre me traz sentimentos antagônicos.
Se por um lado acho tudo lindo e fico feliz de ver as marcas estrangeiras tão bem expostas para nosso olhar, por outro fico indignada com os preços praticados aqui no Brasil.
Tudo custa o dobro do valor que pagaríamos no exterior, o que dá a sensação ruim de que nosso povo é sempre feito de bobo - não suficiente pagarmos pesadas taxas de impostos internos, também não podemos nos dar ao gosto de comprar luxo aqui dentro.

Explico: com o valor de 2 bolsas Chanel (ou Gucci, etc.) compradas aqui, pode-se viajar ficando 7 dias em NY, com passagem e estadia, e ainda trazer essas mesmas 2 bolsas na mala. Dá exatamente o mesmo valor!!! [#revolta!]



Bom, desabafos à parte, queria comentar que o Iguatemi hoje recebe a estilista Diane von Furstenberg, que está no Brasil para uma série de compromissos em torno da marca, entre eles o seminário de luxo em São Paulo organizado pela jornalista Suzy Menkes do International Herald Tribune, e para apresentar a coleção Resort 2012 para clientes e amigos com um desfile no Espaço Fashion do Shopping Iguatemi.

Segundo a divulgação, "A coleção, intitulada “La Petite Valise”, que tem a cara do Brasil, chega à loja em janeiro de 2012. Após a apresentação, a estilista encontra clientes e convidados em coquetel na loja da marca".


Hoje, na hora do almoço, o evento já estava quase 100% montado: passarela preta, do elevador até o Espaço Fashion; dezenas de caixas DvF com brindes para os convidados; camarins improvisados na garagem Orquídea, um com as roupas e as modelos, e o outro servindo de base para a cozinha/coquetel.

Fiquei morrendo de vontade de ficar lá para ver o desfile mas tive que ir embora - muito à contra gosto!


Gosto da linha da DvF, tanto de roupas como de acessórios (bolsas próprias e joias H.Stern). Acho que é uma roupa sóbria, que fica muito bem nas entas, e que tem estampas lindas, reconhecíveis imediatamente.

Sucesso para o desfile!



P.S. 23h00: no site Chic postaram um perfil de Diane que vale a pena ler!

Ponto alto: sua declaração de vida
'Para fechar a apresentação ela disse: “Ter idade significa que você viveu e eu vivi cada dia da minha vida, não posso fingir. Prefiro ser uma rosa velha do que uma rosa de plástico”.'

Maravilhosa!!!


Um comentário:

  1. A questão dos preços realmente cria uma insatisfação brutal.
    Meu tio, que viveu por muitos anos no Canadá e recentemente veio ao Brasil, SE RECUSOU a pagar o preço de certas coisas aqui, entre elas as peças de roupa (coitado..pois ele é super trendy e em Calgary a troca de temporada é bem forte). Ele se recusou pois, como ele disse, o preço não é justo, além de não chegarem todos os produtos (no caso,as coleções completas).
    Como ele, e como meus pais mesmo sempre disseram, o inacesso a tantas coisas surpreende, seja pelo preço ou porque realmente te impedem de chegar até certa informação ou conhecer determinado produto. É um bloqueio assustador, muito, mas muito limitante.
    E nos preços, realmente é uma tabela paralela e incoerente, completamente surreal. (e isso pra qualquer produto,até mesmo nacionais)
    Definitivamente não é uma questão de ser caro ou barato, pois no exterior também há produtos caros, mas como disse acima, a tabela é coerente e justa, e se você quiser, você consegue obter esse luxinho (isso falando do mais caro. aqui o luxinho é algo intermediário lá fora, e incrível como isso distorce a noção das coisas e cria um sistema de status completamente sem noção).
    Aqui é tudo invertido, que ódio :(

    Notei que toda vez que passo pela Victor Hugo (uma das minhas favoritas) sempre dou um certo riso e que realmente me surpreendo com a minha própria surpresa (!) ao ver uma super valorização do produto e um preço completamente fora de lógica.
    É triste.

    E na área tecnológica também há o mesmo problema, cansei de encontrar alguns produtos mais 'a frente' por um preço bem mais coerente, e pior de tudo, perceber que aqui nem chegou.

    Legal que aqui no Brasil, com o incentivo ao turismo, a noção abriu bastante.
    Basta ver que nos países vizinhos, latinos, o consumo de grifes de todo aspecto é bem mais frequente e acessível. (isso falando apenas no aspecto vestimenta. Na tecnologia, consumo em restaurantes, locais, festas é válido também! Há diversas maravilhas além da característica própria de cada lugar, AMO!).
    Evidente que não é tão barato como nos EUA ou no Canadá mas ainda assim, um preço coerente, cabível, justo.

    Nisso eu tenho muito a agradecer por minha família ser de fora, antes mesmo de qualquer que fosse o grupo ou tendência que eu entrasse, ou a própria abertura ao turismo. Essa percepção sempre foi muito alta pra mim, e a noção real de preços também. (importante!)

    Mas temos de reconhecer que a exposição de peças e o foco em trazer coisas cada vez mais antenadas, está cada vez melhor e as lojas cada dia mais lindas. Ter um acesso um pouco maior já é algo muito bom. :) - um pequeno deleite pra quem curte.

    FALANDO DAS COISAS BOAS
    Puxa..que droga essa vida só em livros.
    Queria ter dado um jeito de ir só pra tentar dar uma olhadinha (ou como diz um professor meu, uma 'sapeada') hahaha Ok,não sei se teria tido coragem mas vontade de dar uma micro-espiadinha que fosse não falta né 8,D
    Tomara que tenha sido um belíssimo evento, muito justo. <3 Diane é incrível e valoriza a mulher adulta como ninguém..com muito charme,estilo e feminilidade. Ela e Carolina Herrera são verdadeiras damas. Um luxo de ícone,para todas nós.
    (btw, amei o primeiro e o ultimo vestido! e a modelo do 1o é linda!!)

    A frase é mais do que somente uma absoluta verdade, é uma das mais absolutas BELEZAS da vida. MARAVILHOSA! (por isso ela é incrível!)
    Nada como a autenticidade..! Amo demais.
    Nada como sê-la em todas as faixas. Sermos inteiras. É lindo e fantástico.
    (e pegando um gancho da moda, isso é realmente 'estilo' ;))

    Bjs!

    ResponderExcluir

Seu comentário estará visível após moderação. Obrigada!